Superpopulação de ratos na cidade de São Paulo

Controle de Pragas - Ratos

São Paulo é a maior cidade sul-americana, possui o 10º maior PIB do mundo entre cidades e conta com mais de 16 milhões de habitantes. Apesar disso, a grande metrópole do Brasil ainda sofre com graves problemas sociais, de locomoção, violência e poluição. Mas há um tipo de problema obscuro que assola seus limites territoriais: A superpopulação de ratos.

Estima-se que para cada habitante da cidade há aproximadamente 15 ratos. Isso mesmo. Fazendo rapidamente as contas são 240 milhões de ratos apenas no território paulistano.

As espécies mais encontradas em nossa cidade são Rattus rattus (rato de telhado), Rattus norvegicus (rato de esgoto) e Mus musculus (camundongo). Essas espécies são facilmente encontrados em córregos, parques, terrenos e em todos os bairros da cidade principalmente nas galerias subterrâneas.

O mais impressionante é que cada casal é capaz de gerar cerca de 180 filhotes por ano. Em São Paulo, eles têm os três itens básicos para sua sobrevivência e reprodução que são alimentação, água e abrigo, todos em abundância.

O maior problema da superpopulação de ratos é a transmissão de doenças ao humano. A principal delas é a Leptospirose. No município de São Paulo, essa doença está sob vigilância epidemiológica, principalmente nos meses de verão, onde a possibilidade de enchentes é grande e o consequente contato humano com a urina do roedor inevitavelmente acontece.

Entre janeiro de 2013 e fevereiro de 2014, 238 casos de Leptospirose foram confirmados, levando 28 pessoas a óbito em nossa cidade.

Objetivando a conscientização da população, os órgãos públicos investem insistentemente em programas de instrução, cujas ações visam à diminuição das condições de reprodução dos roedores e seu contato com humanos, dentre outras.

É possível evitar o contágio da Leptospirose e a proliferação de roedores tomando as seguintes precauções:

  • Evitar contato com água ou lama de enchentes;
  • Evitar contato da pele desprotegida com entulhos, esgoto e galerias subterrâneas;
  • Manter os alimentos guardados em recipientes fechados e protegidos;
  • Manter a cozinha sempre limpa;
  • Manter os lixos acondicionados em sacos plásticos e enviá-los à coleta seletiva apenas no horário de passagem do caminhão coletor;
  • Retirar sobras de rações de animais domésticos ao anoitecer e manter os recipientes limpos;
  • Manter terrenos, quintais e margens de córregos limpos;
  • Evitar acúmulo de entulhos nos quintais (como telhas, madeiras e materiais de construção), pois são ambientes ideais para reprodução.

Em caso de aparecimento de roedores no ambiente domiciliar, contate imediatamente a Limptec para que a desratização seja realizada e a transmissão de doenças seja evitada.

Limptec. Solucionando com eficiência, rapidez e qualidade.

Fontes:
Wikipedia, Revista Trip, Centro de Vigilância Epidemiológica e Prefeitura de São Paulo.