Impactos ambientais provocados pelo esgoto

Os riscos da estação das chuvas

Se os principais rios da cidade de São Paulo não fossem poluídos, talvez os transtornos causados pelo desabastecimento de água seriam menores. Além disto, poderiam ser utilizados para transporte, entretenimento, prática esportiva, dentre muitas outras coisas.

Mas o que de fato torna os rios poluídos absolutamente impraticáveis é a sua incapacidade de garantir a sobrevivência da maioria dos seres vivos (exceto bactérias, fungos, algas, dentre outros). Tais sobreviventes, além de acabar com a totalidade do oxigênio da água, ainda produzem CO2. Além disto, torna a água inutilizável para o consumo e atividades agropecuárias.

Lugares onde não existe o devido tratamento de esgoto, o saneamento básico também deixa a desejar. Assim, o lixo e o esgoto acabam se tornando apenas um e então, inevitavelmente, são direcionados a rios e córregos, propulsionando o problema.

O esgoto doméstico, aquele proveniente de instalações hidráulicas e sanitárias da cozinha, chuveiro, vaso sanitário, pia, etc., é constituído por 99% de líquido (orgânicos) e 0,1% de materiais sólidos (orgânicos e inorgânicos). Na média, as residências produzem cerca de 280 litros de esgoto por dia. Mas para que seja definitivamente tratado, apesar de utilizar processos relativamente simples, o caminho é bastante longo. Por conta disto, durante o trajeto da residência à estação de tratamento, materiais orgânicos e inorgânicos são parcialmente decompostos através de atividade bacteriana ainda nas galerias de esgoto e nos rios e córregos. Bactérias e algas se proliferam e o resultado da decomposição dos materiais prejudica a oxigenação da água. Em alguns casos, elimina completamente. Desta forma, a água perde sua viscosidade e proporciona a ação tóxica.

Além disto, todo material inorgânico carregado junto ao esgoto, como materiais plásticos e outros, se acumulam nos leitos e bordas dos rios, tornando-os impermeáveis, criando erosões e assoreamento. Esses materiais plásticos demoram entre 100 e 400 anos para serem completamente decompostos, provocando também a morte por asfixia de animais que os consomem. A Limptec abordou sobre este assunto no artigo “Proibição das sacolas plásticas e os benefícios à natureza“.

Resumendo: Como maiores conseqüências, o despejo de esgoto diretamente em rios e córregos tornam suas águas toxicas e produzem emissão de maus odores proporcionados pela decomposição bacteriana, além de assoreamento, redução da oxigenação e, por fim, levam à perda de toda e qualquer possibilidade de vida que depende dessas águas. Para os humanos, o contato direto com o esgoto pode ocasionar em inúmeras doenças como cólera, leptospirose e esquistossomose.

Por isto nas regiões onde a coleta de esgoto é deficitária, a melhor solução é a utilização de fossas sépticas, como já abordado pela Limptec em “Fossa séptica como alternativa ao saneamento básico“. Elas solucionam perfeitamente a questão do esgoto despejado diretamente em rios e córregos e, em alguns casos, diretamente em vias públicas.

A Limptec é uma empresa desentupidora e atua na capital, grande São Paulo e principais cidades do interior e litural paulista. Além de oferecer soluções para desentupimento de esgoto, tubulações, vasos sanitários e limpeza de fossas, caixas de gordura, etc, a Limptec preza também pela conscientização da população para que danos provocados pela emissão de esgoto em rios e córregos sejam minimizados.

Limptec. Solucionando com eficiência, rapidez e qualidade.